Tatiana Blass


T Blass - 31 x 41 cm (2)

TATIANA BLASS
SALA AZUL #4
GUACHE SOBRE PAPEL
31 X 41 CM

information about this work informações sobre esta obra
T. Blass - Entrevista #1.2 - 25x70x30cm

TATIANA BLASS
ENTREVISTA #1.1, 2013
BRONZE FUNDIDO
70 X 30 X 25 CM
CRÉDITO DA IMAGEM: EVERTON BALLARDIN

information about this work informações sobre esta obra
tatiana-blass-9029-©-fernando-piçarra

TATIANA BLASS
CERCO #2, 2011/13
LATÃO FUNDIDO
100 X 100 X 100 CM
CRÉDITO DA IMAGEM: FERNANDO PIÇARRA

information about this work informações sobre esta obra
TB_5256_23x30cada_2012-b

TATIANA BLASS
O RESTO QUE FICA BICICLETAS #1, 2012
ÓLEO SOBRE IMPRESSÃO FOTOGRÁFICA
22,5 X 30 CM CADA
CRÉDITO DA IMAGEM: EVERTON BALLARDIN

information about this work informações sobre esta obra

Tatiana Blass, 1979 – São Paulo, Brasil
Vive e trabalha em Belo Horizonte e São Paulo, Brasil

Formada em Bacharelado em Artes Plásticas pela Universidade Estadual Paulista. Tatiana Blass faz pinturas, vídeos, esculturas e instalações. Começou a desenvolver seu trabalho em 1998, quando passou a participar regularmente de salões, mostras em ateliês, exposições coletivas e individuais no Brasil e no exterior. Participou da 29ª Bienal Internacional de São Paulo. Foi finalista do prêmio Nam June Paik Award, na Alemanha. Foi contemplada pelo programa “Grants & Commissions”, da Cisneros Fontanals Art Foundation, em Miami. Em 2011, ganhou o Prêmio PIPA pelo voto popular e voto do júri pelo conjunto de sua obra. Como parte do prêmio, fez uma residência artística no Gasworks, em Londres. Em 2013, o Museum of Contemporary Art Denver, nos EUA, comissionou “Electrical Room”, uma videoinstalação inédita. Em 2014, foi convidada pela fundação 3,14 Stiftelsen, em Bergen, a participar de uma residência artística na Noruega. Desde 2007, realizou quatro exposições individuais na Galeria Millan, galeria que a representa, além da Johannes Vogt Gallery, em Nova York, com a qual participou de projetos solo nas feiras ArtBo, em Bogotá, Zona Maco, Cidade do México e Arco Madri. Entre as exposições individuais, destacam-se: em 2011, “Penélope”, instalação na Capela do Morumbi, em São Paulo e a instalação “Fim de partida”, no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. “Cão cego” (2009), no Museu de Arte Moderna da Bahia; “Zona Morta” (2007), no Centro Universitário Maria Antonia, em São Paulo; em 2003, III Mostra do Programa de Exposições, no Centro Cultural São Paulo e exposição na Fundação Joaquim Nabuco, em Recife. Nas exposições coletivas, destacam-se: “Cruzamentos: Contemporary Art in Brazil” (2014), no Wexner Center, em Columbus, Ohio; “Avante Brasil” (2013), no Kunst im Tunnel, em Dusseldorf, na Alemanha; “Terceira Metade” (2011), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e o 17º Festival de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil; 14º Salão da Bahia” (2007), no Museu de Arte Moderna da Bahia, onde recebeu o prêmio aquisição; “Geração da Virada” (2006), no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo; “Paradoxos Brasil – Rumos Artes Visuais 2006″, realizada no Itaú Cultural, em São Paulo.