E.Jobim S.título 100 x 250 x 15 cm - foto Daniel Mansur

Beth Jobim participa de coletiva no Bronx Museum

03.Nov.2015

Beth Jobim participa da coletiva (de) (re) construct: Artworks from the Permanent Collection, no Bronx Museum, em Nova Iorque. A exposição, que permanece em cartaz até janeiro de 2016, reflete o legado do construtivismo reinterpretado por artistas contemporâneos.

Fonte: site do Bronx Museum

compartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someone
I.Pena Série Lagoa - foto Daniel Mansur

Isaura Pena participa da Anozero: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra

29.Out.2015

A primeira edição da bienal Anozero terá lugar em Novembro de 2015 e prevê a realização de um conjunto de iniciativas curatoriais em espaços classificados e outros lugares de relevante valor patrimonial e cultural da cidade de Coimbra.
Para tal, aposta na programação de cerca de 30 atividades delineadas por três áreas de atuação: exposições de arte contemporânea com alguns dos mais relevantes artistas nacionais e internacionais; ações de mediação, sensibilização e formação de públicos para a cultura e as artes através da ação do serviço educativo; programação de atividades paralelas multidisciplinares no contexto da vida artística e cultural contemporânea.
Com o título “Um lance de dados”, a primeira edição do Anozero assenta na ideia da circunstância efémera do mundo. Adotando como mote o poema “Um lance de dados jamais abolirá o acaso” (1897), do poeta simbolista Stéphane Mallarmé, o projeto converge sobre a problemática do transitivo, sobre o ciclo de vida e morte das atividades humanas. Tal como o poema de Mallarmé, esta primeira edição do Anozero escreve-se num jogo de binômios inerentes à condição humana: construção / destruição; efémero / perene; criação / interpretação; possibilidade / impossibilidade; totalidade / fragmento.

Isaura Pena, doutoranda em Arte Contemporânea no Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, é uma das artistas participantes.

Fonte: site da Anozero Bienal

compartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someone
MMGV - out. 2015

Roberto Bethônico participa do colóquio Metodologias e dispositivos do artista em sua produção: pesquisa, enunciado, transdisciplinaridade

20.Out.2015

Entre 20 e 22 de outubro acontece no Memorial Minas Gerais Vale o colóquio Metodologias e dispositivos do artista em sua produção: pesquisa, enunciado, transdisciplinaridade. Dentre as diversas falas, destacamos a de Roberto Bethônico, professor da Escola de Belas Artes da UFMG e artista representado pela Celma Albuquerque.

Sob a forma de uma constelação móvel de enunciados, a pesquisa em arte propicia ao artista teorizar o sentido e o posicionamento de sua prática frente a um conjunto de disciplinas — a história, a filosofia, a estética, a antropologia, a psicanálise, a invenção e, naturalmente, a arte — bem como a um contexto discursivo e visual que o envolve cultural e socialmente.
Esse é o assunto do colóquio realizado em parceria com a Escola de Belas Artes da UFMG e com a coordenação da artista e professora Patrícia Franca-Huchet, da EBA-UFMG.
As inscrições poderão ser feitas na Escola de Belas Artes da UFMG, Campus Pampulha, na Secretaria da Pós-Graduação em Artes.

Fonte: site do Memorial Minas Gerais Vale

compartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someone
Untitled-1

Rafael Zavagli apresenta a indivudual Entreatos e Notas, em cartaz no Palácio das Artes

14.Out.2015

A exposição Entreatos e Notas, que reúne 20 quadros de Rafael Zavagli na Galeria Genesco Murta, no Palácio das Artes, foi prorrogada até 25 de outubro. Nesta individual, o público confere obras nas quais o artista aprofunda sua pesquisa sobre a feitura pictórica.

Zavagli utiliza a imagem para se debruçar sobre a relação entre o homem e a paisagem. Suas reflexões buscam novas interpretações sobre a natureza, o espaço habitado e as constantes transformações estéticas. O artista busca também observar fauna, flora e os reflexos da interferência humana nesses locais.

Partindo da ideia de que a paisagem é algo muito marcante e reconhecível, mas pode ser trabalhada para que se modifique completamente, a exposição faz referência ao momento entre Atos, o não lugar, tempo em que acontece a fruição, um momento de transição.

Fonte: site da Fundação Clóvis Salgado

compartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someone

Antonio Dias, João Castilho, Nuno Ramos e Waltercio Caldas na 10ª Bienal do Mercosul

08.Out.2015

Com o título Mensagem de Uma Nova América a 10ª Bienal do Mercosul retoma sua vocação histórica ao priorizar novamente a arte produzida nos países da América Latina.

A plataforma curatorial da 10ª Bienal do Mercosul estará voltada para a exibição da produção artística dos países latino-americanos, retomando uma vocação inicial apontada em sua primeira edição, cuja estratégia curatorial era “reescrever” a história da arte da América Latina. Esta edição da exposição buscará promover a visibilidade, a legibilidade e a recepção da produção artística destes países através de uma exposição de grande envergadura que irá se construir em torno da produção mais relevante desta região. A exposição pretende dar conta de um considerável número de “pontos cegos” deixados pela crítica e pela historiografia, trazendo à superfície obras cuja contribuição artística ainda não recebeu a merecida consideração crítica.

Antonio Dias, João Castilho, Nuno Ramos e Waltercio Caldas são quatro dos artistas cujas obras foram selecionadas para a 10ª Bienal do Mercosul.

Fonte: site da Fundação Bienal do Mercosul

compartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someone
elizabeth-jobim_convite_05

Beth Jobim lança seu primeiro livro pela Cosac Naify

01.Out.2015

O primeiro livro sobre a artista Elizabeth Jobim, importante pintora e desenhista que integrou o grupo de pintores da Geração 80 e foi aluna de Eduardo Sued e Anna Bella Geiger, será lançado em outubro pela Cosac Naify.

A artista brinca com as cores e dimensionalidades de suas obras, desdobrando-as no plano físico e conceitual. O livro bilíngue conta com ensaio exclusivo do curador e crítico Paulo Venancio Filho e entrevista com a autora feita por Taisa Palhares.

Fonte: site Cosac Naify

compartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someone