ISAURA PENA – ESTUÁRIOS – NOVEMBRO 2019


_DSC0464

IMAGEM: DANIEL MANSUR

_DSC0439

IMAGEM: DANIEL MANSUR

_DSC0446
_DSC0452
_DSC0459
_DSC0467
_DSC0487
_DSC0496
_DSC0501

IMAGEM: DANIEL MANSUR

A Celma Albuquerque Galeria de Arte apresenta a partir do dia 30 de novembro “Estuários”, exposição individual da artista Isaura Pena. A mostra, cujo título remete à formação geográfica originada do encontro entre rio e mar, trata tanto daquilo que se refere à ação do elemento água, quanto de seu uso como ferramenta poética.

De volta ao Brasil após temporada na Universidade de Coimbra, em Portugal, onde defendeu sua Tese de Doutorado, Isaura permitiu-se revisitar e aprofundar questões há muito presentes em sua trajetória.

Escala e forma, simultaneamente, diferenciam e aproximam poça e lagoa, assim como um mapa hidrográfico e as raízes de uma árvore. No corpo de trabalhos aqui apresentados, desenhos feitos com nanquim, tinta à base de água que acompanha Isaura desde a década de 1980.

À essa água com que desenha, aplicada na medida do desejo da artista, é dada liberdade para percorrer e reagir aos diferentes papéis – de arroz, manteiga, vegetal – aos quais é aplicada.

Isaura confia na relação por ela forjada entre o líquido e a superfície; isto porque desenha sem desejo de dominar, mas na esperança de dialogar com o objeto de seu interesse.

A imersão em códigos de uma terra que não é a sua permitiu à artista uma nova interlocução com o que era familiar: desenho, representação, realidade, impressões. O que é referência – a árvore nativa do Brasil – passa a ser subversão. Raízes em destaque, expostas e vibrantes, no topo; a copa tangencia o chão.

Obras e referências que carregam a marca do gigantismo, físico ou simbólico, são reveladoras de sua consciência do mundo e das possibilidades de seu desenho que, generosamente, Isaura compartilha conosco.