ROCHELLE COSTI – EQUILÍBRIO, FLORADA, SOLARES – MAR/ABR 2022


Rochelle Costi - Solares - Galeria Celma Albuquerque

CRÉDITOS: ROCHELLE COSTI

Rochelle Costi - Solares 2 - Galeria Celma Albuquerque

CRÉDITOS: ROCHELLE COSTI

IMG_1609

CRÉDITOS: ROCHELLE COSTI

IMG_1605

CRÉDITOS: ROCHELLE COSTI

ROCHELLE COSTI
A Celma Albuquerque Galeria de Arte tem o prazer de anunciar a inauguração do calendário de exposições de 2022 com a mostra Equilíbrio – Florada – Solares, individual de Rochelle Costi, a partir do dia 26 de março. A exposição da artista gaúcha, que vive e trabalha em São Paulo, marca a continuação de uma parceria que já dura mais de 15 anos.
“Vivemos sob a prova constante da passagem do tempo, nossos corpos são como ponteiros de um relógio de sol marcando a hora que já não é.
Em um primeiro momento as séries aqui mostradas podem parecer tratar da repetição, mas é sobre a impossibilidade do repetir-se o que se quer falar.
Assim como nosso corpo/ponteiro nunca mais receberá a luz que sobre ele pairou hoje, jamais será possível obter, sob a luz natural, a mesma imagem de uma mesma flor ou de um objeto momentaneamente equilibrado sobre uma superfície.
Nada se repete, comprova-se assim a transitoriedade do que nos rodeia e compõe.

A exposição é formada por três séries:

FLORADA é um conjunto de fotos que se relacionam com os ciclos da natureza.
São arranjos de flores, muitas vezes encontradas em caminhadas pelo bairro onde moro. Embora esteja a menos de quatro quilômetros do centro de São Paulo, é possível encontrar por aqui espécies nativas e exóticas que, apesar de serem desafiadas pelo desequilíbrio ambiental da metrópole, seguem florindo periodicamente segundo o impulso da natureza. A tonalidade e as espécies presentes em cada foto variam dependendo da estação do ano.
Sempre as fotografo pela manhã, num mesmo canto da copa.

“É de uma organização delicada de desequilíbrios que o equilíbrio tira o seu encanto” Jean Cocteau em A dificuldade de ser.

EQUILÍBRIO foi realizado entre março e abril de 2021, durante o período de isolamento devido à pandemia da Covid 19. Usei como recurso para meu próprio equilíbrio emocional, buscar objetos que pudessem se manter sobre uma pequena coluna torneada em madeira (peça de 14 cm, componente do antigo brinquedo de montar O Pequeno Construtor).
A atividade, realizada na luz que incide de uma janela de meu atelier sobre uma folha de papel formato A5 entre as 9h e 14h, rendeu quase duas centenas de fotos. Aqui foram editadas 50 delas, que estão montadas individualmente, em duplas e em trios. Sua disposição na parede da galeria tem como referência as salas de promessas dos locais de prece e afirmação de fé.

SOLARES – múltiplas cortinas mostram cenas da arquitetura informal do Norte do Brasil. A força do sol leva a população a usar recursos de diferentes cores e materiais para impedir que a luz atinja com sua potência máxima o interior dos ambientes domésticos ou comerciais. As formas e cores resultantes deste procedimento de proteção solar mostram uma liberdade estética que acaba por compor um estilo próprio. As imagens são impressas em tecido, em escala próxima ao tamanho real, trazendo o efeito fluido dos próprios materiais fotografados.”
Rochelle Costi, março/abril 2022